sexta-feira, 20 de agosto de 2010

BATATA DOCE

INFORMAÇÕES DA COPERCAMPOS



BATATA DOCE
(IPOMOEA BATATAS)

1) CLIMA
A batata-doce é uma planta de clima quente. Não tolera geadas, e seu crescimento vegetativo é prejudicado em temperaturas inferiores a 10ºC.

2) VARIEDADES
Recomenda-se, para mesa, as variedades precoces Brazlândia roxa, Brazlândia rosada, Brazlândia branca, coquinho e Jacarei e as variedades tardias Pindorama, IAC 127-29-moreninha, IAC 60-M-3-Brasília, IAC 137-19-Capinas. As quatro primeiras variedades precoces foram criadas no Centro Nacional de Pesquisa de Hortaliças da EMBRAPA e têm resistência à broca das raízes.
Para indústria, são recomendadas as variedades tardias IAC 138-2-Vera Cruz, IAC 60-M-3-Brasília, maryland golden, IAC 137-14 roxa nova e IAC 153-roxa lobada e a variedade precoce yellow-yan.

3) ESCOLHA DO TERRENO
A batata-doce produz em todos os tipos de solo, porém os solos areno-argilosos, de boa fertilidade e não sujeitos a encharcamento, oferecem melhores condições para o bom desenvolvimento das raízes e facilidade de colheita.











4) PREPARO E CONSERVAÇÃO DO SOLO
Quando plantada em rotação com outra hortaliça, fazer a limpeza do terreno eliminando o restante da cultura anterior. A aração deve ser profunda, de 25 a 30 centímetros, seguida de uma gradagem. As leiras devem ser feitas com 30 a 40 centímetros de altura, cortando as águas e em nível. Em terreno com declividade superior a 5%, adotar as práticas de conservação do solo.
Procure um técnico para orientá-lo.

5) CORREÇÃO DE ACIDEZ
Fazer análise do solo para saber a quantidade de calcário a ser aplicada. Preferir o calcário dolomítico finamente moído. A planta produz bem em solos de pH 5,6 a 6,5.

6) ADUBAÇÃO
Recomenda-se fazer adubação de acordo com os resultados da análise do solo. Na ausência desta, fazer as seguintes adubações:
• Adubação de plantio - A cultura da batata-doce deve ser feita em rotação com outras olerícolas para aproveitamento dos resíduos de adubos, evitando-se, assim, a prática da adubação.
No caso de terreno não adubado anteriormente e desde que não se disponham de resultados de análise do solo, pode-se recomendar a aplicação de 600 quilos de adubo fórmula 4-16-8 ou 500 quilos de superfosfato simples + 100 quilos de cloreto de potássio por hectare.
Em ambos os casos colocam-se 15 gramas do adubo por cova ou 45 gramas por metro no fundo das leiras de plantio.
• Adubação de cobertura - Aplicar 15 gramas de sulfato de amônio por cova 30 dias após o plantio para variedades precoces ou 45 dias após o plantio para as variedades tardias.

7) PLANTIO E ESPAÇAMENTO
O plantio é feito sobre leiras ou camalhões com 30 a 40 centímetros de altura e no espaçamento de 80 X 30 centímetros.
As ramas para o plantio devem ser colhidas com antecedência e deixadas à sombra por um ou dois dias para murcharem, evitando-se assim que se quebrem ao serem plantadas. As ramas devem ser cortadas no comprimento de 40 centímetros e colocadas transversalmente sobre as leiras para o plantio. As ramas são obtidas pelo plantio da batata em viveiro ou de culturas comerciais e são plantadas a uma profundidade de 15 a 20 centímetros.

8) ÉPOCA DE PLANTIO
Nas regiões que apresentam temperatura elevada durante o ano todo, a batata-doce pode ser plantada em qualquer época, devendo-se contudo fazer irrigação na época da seca.
Nas regiões de clima frio, o plantio deve ser feito no final do ano, quando começa o período chuvoso. O calor acelera o desenvolvimento das plantas permitindo boa produção.

9) TRATOS CULTURAIS
• Replantio - Para substituir as mudas que morrem, deve-se fazer o replantio até quinze dias após o plantio.

• Capinas - Manter a cultura no limpo até 60 dias após o plantio, quando as ramas cobrem totalmente o solo.

• Amontoa - Por ocasião da primeira capina fazer a amontoa, refazendo as leiras ou camalhões.

• Irrigação - Quando o plantio for em época seca ou quando faltarem chuvas, fazer irrigação duas vezes por semana até os 20 dias após o plantio, uma vez por semana dos 20 aos 40 dias e de duas em duas semanas após os 40 dias. Excesso de água provoca crescimento vegetativo com pouca produção de raízes.

10) COMBATE A DOENÇAS E PRAGAS
São poucas as doenças que trazem problemas sérios à cultura. Para o controle das pragas, o Centro Nacional de Pesquisa de Hortaliças da EMBRAPA recomenda as seguintes medidas:
• Usar variedades resistentes a insetos do solo.

• Fazer rotação de cultura com tomate, cebola, cenoura, brássicas, trigo ou arroz por dois ou três anos.

• Produzir as mudas em viveiro, usando somente as ramas sadias, de bom vigor.

• Amontoa - Uma amontoa bem feita reduzirá consideravelmente os danos causados por insetos do solo.

• Evitar atraso na colheita, para diminuir os danos causados por insetos do solo e roedores.

• Armazenamento - Recomenda-se evitar o armazenamento da batata-doce por período superior a 30 dias.












11) COLHEITA
A colheita deve ser feita assim que as batatas atinjam o tamanho ideal para a comercialização, o que ocorre entre 120 e 180 dias nas variedades precoces e a partir de 180 dias nas variedades tardias.
A colheita pode ser feita manual ou mecanicamente. Os equipamentos poderão ser tracionados por animal ou trator, podendo-se usar arado de aiveca ou de disco, sulcador ou colheitadeira de batatinha. Após colheita, deixar as batatas ao sol por 30 minutos a 3 horas, dependendo da intensidade do calor. Depois, levam-se as batatas para um galpão onde são lavadas, selecionadas e embaladas.

12) CLASSIFICAÇÃO E EMBALAGEM
Separam-se dois tipos: um com raízes de tamanho médio, sadias e sem defeitos, destinado à comercialização, outro constituído por raízes grandes ou defeituosas, que deverão ser destinadas à alimentação de animais, pois constituem ótima forragem.
O acondicionamento para o comércio é feito em caixas tipo K pesando 22 quilos.
A batata-doce é classificada em Extra, Especial e Primeira.
Extra - raízes com tamanho de 13 a 15 centímetros de comprimento, formato ovalado, com duas pontas finas, de coloração clara, sem ataque de pragas, com peso médio de 200 a 400 gramas e nove raízes de boca.
Especial - raízes com peso médio de 400 gramas.
Primeira - raízes com peso médio inferior a 200 gramas.



© Copyright 2001 COPERCAMPOS® - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por OtRo Systems

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário